Mundo Afora

O dia que assinei minha cidadania italiana – retrato de uma viagem conturbada.

o-dia-que-assinei-minha-cidadania
cidadania italiana

Nem tudo que desejamos acontece exatamente da maneira que imaginamos. O dia que assinei o reconhecimento da minha cidadania italiana não foi nem de perto como eu sonhei durante 3 anos. Este post é mais um desabafo, então não espere algo muito colorido, alegre, exultante, com fotos de viagem. Pelo contrário, é um retrato do que senti naquele exato momento.

Se você já leu os outros posts sobre a nossa ida para a Itália, deve saber o sufoco que foi e que não conseguimos sacar o nosso dinheiro no caixa do aeroproto, então viajamos com apenas 45 euros e um cartão de crédito com pouco limite disponível. Acontece que eu deveria chegar em Bérgamo e pagar o restante do serviço de assessoria que contratei para me auxiliar no processo. Era o combinado e a pessoa estava esperando por isso. E eu não poderia cumprir a minha parte.

Sinceramente, pensei em nem ir. Mas eu tinha que assinar os documentos, já havia passado do tempo. E caso não fosse, perderia as passagens e as folgas que consegui no trabalho. Decidi ir e propor que nenhum documento me fosse entregue até que eu fizesse o pagamento. Mas ela poderia não aceitar e me mandar embora, de mãos vazias. Decidi arriscar.

cidadania italiana
Pelo menos ela se divertiu
Senti muitas coisas quando sentei com ela e expus a situação. Mas a vergonha era a que tomava conta de mim e me fez sentir uma tristeza muito grande. Parecia que estava entrando em um buraco negro, e só queria que naquele momento alguém estendesse a mão e me puxasse de volta.
Fomos até o comune e assinamos o que era preciso. Ela não me mandou embora. Não se negou a entregar minha identidade italiana. Mas aquele momento, que havia sonhado e imaginado, o da assinatura, que eu queria eternizar na minha lembrança como uma grande vitória conquistada, foi estranho. Por um lado eu estava emocionada, mas por outro eu chorava por dentro, e não era de alegria. Era de constrangimento. Tinha um nó na garganta.
cidadania italiana
Minha linda identidade italiana!
Demorou um tempo para cair a ficha. No meu pensamento só existia a situação financeira. Abstrai o fato de estar ali tendo reconhecido um direito que herdei do meu bisavô. Tive que ler e reler aqueles documentos para perceber o que tinha conseguido. Mas também tive vontade de pegar o primeiro voo de volta para casa.
Felizmente, a pessoa que me assessorou foi maravilhosa e compreendeu o que havia acontecido. Tanto que me emprestou dinheiro para pagar as taxas do passaporte. Nos hospedou. Tudo ficou resolvido, voltei para casa com tudo pronto. Mas a expectativa que eu tive durante todo o tempo que batalhei para conquistar este direito, se perdeu em meio a sentimentos totalmente contrários aqueles que eu deveria sentir. E isto é algo que não tenho como recuperar.
Juli

Juliane

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.




© Copyright - 2017 Mel a mil pelo mundo. Todos os direitos reservados.